Foto do artista Hinos de Cidades

Hino de São Gonçalo do Amarante

Hinos de Cidades


Estas vázeas que o sol cearense espousaram,
E onde a brisa festiva fala coisas de amor,
Nessas plagas,outroras ,revéis dominaram,
Os virís Anacés, com todo seu valor.

(Refrão)
São Gonçalo, celeiro ditoso,
De filhos puljantes,
Em palavras e ação,
Recebe, ó minha terra,
Estes versos vibrantes,
Que fluem do peito,
Com grande emoção.

As carnaubas altivas em noite de lua,
E que o luar eterno beija em doces madrigais,
Vêm lembrar, com razão e para vaidade tua,
Que és gentil noiva dos carnaubais.

Tuas dunas tão alvas e prais enfeitadas,
De coqueiros algustos e verdes cajuais,
Tuas bravas jangadas que ao mar são lançadas,
Refletem o arrojo dos teus ideais.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir