É semana farroupilha
Vou pegar uns pila' graúdo'
Me largar rumo à fronteira
Dançar um fandango cuiúdo

Lá, a gauchada se abraça
Defendendo as tradições
De braço aberto e sem luxo
Pra receber os gaúchos
Que vêm de outros rincões

O Rio Grande se agiganta numa noite fandangueira
Peões e prendas dançando ao som da gaita manheira
A tradição se engrandece e o nosso xucrismo cresce
Quem dança, jamais esquece dos fandangos da fronteira

Na Santana, o baile véio'
É coisa linda de se olhar
Alegrete e Uruguaiana
Vai até o dia clarear

A noite fica pequena
Num fandango em Quaraí
A gaita chora faceira
Com sotaque da fronteira
Nas noitadas do Itaqui

O Rio Grande se agiganta numa noite fandangueira
Peões e prendas dançando ao som da gaita manheira
A tradição se engrandece e o nosso xucrismo cresce
Quem dança, jamais esquece dos fandangos da fronteira

Em Bagé, tem prendas lindas
De balançar o coração
A moçada se entrevera
Em Santiago do Boqueirão

Dom Pedrito e Cacequi
Na velha São Borja brota
Bailes que deixam lembrança
Que faz o índio que dança
Gastar a sola da bota

O Rio Grande se agiganta numa noite fandangueira
Peões e prendas dançando ao som da gaita manheira
A tradição se engrandece e o nosso xucrismo cresce
Quem dança, jamais esquece dos fandangos da fronteira

Nunca esquecendo dos fandangos buenos do Chuí, Jaguarão, da velha Bossoroca, Maçambará, Rosário, Porto Xavier, companheiro. E o sapucay da fronteira, é claro, companheiro véio'

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: João Luiz Corrêa / JORGINHO PINALLI / JULIANO BORGES · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Música
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.