1, 2, 3, 4!
Qual é?
Vem falar, que demorou
Fica impressionado com o branco que o verde fumou?
Os olhos pegaram fogo em chamas vermelhas
Você vê a pobreza que não atinge a realeza
E se quiser ser um pouco mais esperto, eu te ensino
Agente mata, depois comete o latrocínio
Pega esses skin-head que quer matar nordestino
Arranca seus olhos e as tripas deixa que eu estripo com seu verme
Que só faz prejú na terra e causa estresse
A porra do pote de sim, não te fortalece!
E vocês acham que com o beck eu fico doidão...
Mas preste atenção nos delitos que fazem
Arrombando lares e tirando dignidades
Arrecadando almas e comprando mais almas
Então, eles querem matar meus irmãos
A família é nós, enterrando com o zé do caixão!
Eu sou aquele cachorro louco que rasga tua pele e róe teu osso!
Canibalismo fortifica o meu corpo
Com ódio nos olhos não mostro nenhuma expressão
Sorrindo faço atrocidades com um soco-inglês na mão
Sabe um palhaço depressivo de verdade?
A diferença é que tenho ódio pela sociedade
E se você não atura minha voz...
Foda-se!
Não vai aguentar quando escutar a gente falar pro mundo que é nóis!
Unificando o crime e as facções
Quem não quiser a guerra, irá levar as suas mães!
Os otários aproveitam a fechar por trás com a polícia de merda
Não sou nenhum porco sagaz
Conflito mental!
Porque vivo nesse mundo de merda
País de terceira linha onde nem toda lei é certa
Roots bloody roots
Causando feridas sangrentas e inflamadas de pus!
Alguém segura o palhaço!
O depressivo sabotado!
Assassinos vão te deixar todo furado!
Esses pm não acreditam na história
O boi bumbá da roda me acusa de várias derrotas
Enquanto a mãe acorrenta seu filho na cela
Prega na própria casa pro filho não fumar pedra
Isso sim é o inferno...
Playboy reclama porque a janta tá saindo no horário certo!

Essa vizinhança é um show de aberração!
Tem palhaço solto saqueando sua mansão!

Esse é o show de aberrações!
Sessão do descarrego!

Estrelando: pixote o perdido
Moleque ladrão, até seu avô era um bandido conhecido!
Só faltava ser também um psicopata zen
Ou uma cobaia suicida fã do kurt cobain!
Gurizada olha a proteção furada
O papai nardoni, não vai nada bem!
Que nem o pagodeiro que jogou sua mulher e seu filho
Da cobertura, direto no parapeito!
O próximo excremento é o pedófilo ciumento
Anda calça logo a porra do sapato de cimento!
-que bagulho é esse? o que que tá acontecendo?
O bagulho é louco e o processo é lento!
(nojento!)
Joguei o merda no mar (tcham!)
É um bosta, mas não vai boiar!
E daí?
Tudo não passa de uma calúnia
Quando a gente olha pro lado
Já se torna testemunha
Cheguem mais seus animais!
Por apenas dois reais, olhem e toquem na exumação da família von richthofen!
...com tuberculose
Eu sou bipolar, então porque não surtar?
E sair na rua apunhalando riquinhos ao luar!
Sou retardado pela vivência
Disturbiado, vidrado em muita violência!
Odeio crise de existência...
Foda-se tudo!
As leis?
São as minhas condolências!

Essa vizinhança é um show de aberração!
Tem palhaço solto saqueando sua mansão!

Pois então...
Eu vou dizer manézão!

Encontrando cabeças de barata na maconha
Que por sinal, tá cara pra cacete!
Porra, que vergonha...
O narco-satânico mercenário
Junto com o político broxa latifundiário
Fazem eu afinar a porra dos meus baseados
E ficar assim, de cara e irritado!
A palavra certa é bizarro ou indignado
Pra não falar surtado
Que é como eu saio pra roubar importados!
Som de carro?
É coisa do passado...
Tô eternizando o certo
Quebrado do lado errado!
Com um arco e flecha lanço celulares nas "cadeia"
E se quiser acerto o carcereiro bem na rabeta
Ah, o elias maluco deve ser seu pai
Seu playboyzinho eunuco
Vive um absurdo!
Uma vida de cego, surdo, estúpido, mongolóide, alienado burro!
(é o cúmulo!)
É uma placenta mal fecundada
Parido numa cagada
Numa privada toda infectada!
Só dando muita gargalhada sinistra e surtada
Pra iludir essa vida de baloeiro enlouquecida!
Pra isso,
Pulo o muro da escola
Mato o zelador
Roubo seu uniforme
E faço um filme e de terror!
Enterro 311 crianças no pátio
Todas no céu da amarelinha
Coisa de louco, isso é fato!
E não me importa as sequelas do tráfico
Só sei que funerárias tropicais
São alvo do próximo assalto...

(qual é a tua mermão, tá me chamando de doido?)
(tá maluco seu otário?!)

Então...
Você já sabe que eu voltei da morte, sem foice!
Estourando cabeças no poste pela noite
Na candelária matando várias crianças inocentes
Bandido não se preocupa em soltar o pente!
Criando mais um sandro fodido nessa vida de merda
Polícia não respeita quem vem da favela
Sempre presente na hora da confusão
Mete a mão no meu dinheiro,
Me tratam com desrespeito
Invadem minha casa pra averiguar e levam provas
Esculacham a mil e não apreendem drogas
Então se liga no bicho ou nos atores que fingem
Quebro seu nariz com uma joelhada no clinch!
E alguns péla-sacos não vou gastar nenhuma bala
Vou encher minha mão de sangue socando sua cara contra a calçada
E o calor do rio (riu)
Queima intenso, acorda
Bater o carro?
Ah, ô!
Nessa hora é foda!
Baculejo policial
Que me faz ficar mal
Preocupado com uma herança de um ancestral
A profecia foi esquisita
Os que não acreditam em deus
Estão mais relax do que aquela tia
Que vai pra igreja todo santo dia
Paga e gasta o padre
E o que não é de deus ela abomina
Nota de sete reais
Mais falsificadas que o próprio cara
Na cidade dos playboys que querem ser modelo da capa
Junto com o cachaceiro do alto da jaqueira
Que é o maconheiro descendo a ladeira
Eu sei que o sistema tá errado
Criminalizado pelo estado
E pelos meros porcos fardados!

...e assim chega ao fim mais um show dos rejeitados
As aberrações voltam amanhã, não percam...
É obrigado!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Palhaço Larica / Palhaço Sabotado · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Palhaços
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.