Estava andando pela rua e de repente
Maconhecida minha esbarrou comigo
Disse que precisava de um amigo
Disse quero viajar, sozinha não consigo
De guardanapo em punho, isqueiro novo palito
Apresentou uma situação, hum, não acredito!
Vinte minutos já estava na floresta
Olhei pro lado chapado, e ela como de boréstia
Alucinado subi numa pedra
Arrastei a mina, livrei de duas quedas
No visual pedi um beijo, eu já estava muito louco
E ela me disse: aperta outro!

Gosta muito, é sangue bom mas gosta muito
Maconhecida minha é sangue bom mas gosta muito.
Gosta muito, é sangue bom mas gosta muito
Maconhecida minha é sangue bom mas gosta muito.


Maconhecida minha vive a tôa
Anda de favela em favela procurando a boa
Toma cerveja a tarde toda com os amigos
Sempre intercalando com um do bom para ficar bonito
Se chamada para um dois no sapatinho
Separa um fininho de antemão apertadinho
Fumo prensado, estilo verdinho
Genérico, skankonha, o verme boldinho
Genérico, skankonha, o verme boldinho
Genérico, skankonha, o verme boldinho
Só de primeira, nota oito é a média
Os playboys da pista passam ali na curta rédea
Cliente vip, os outros que se virem
Dois telefonemas, ligeirinho, aciona o delivery
Bagulho em casa da melhor qualidade
Maconhecida minha gosta de verdade

Gosta muito, é sangue bom mas gosta muito
Maconhecida minha é sangue bom mas gosta muito.
Gosta muito, é sangue bom mas gosta muito
Maconhecida minha é sangue bom mas gosta muito...

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir