Ele estava tão preso dentro de casa
Que sua mãe lhe perguntava o que fazer
Revoltava-se com a indisposição
E os amigos no portão queria ver
E dentro do coração sentia arder

A dor de um tédio sem remédio
E um sábado sem solução

Procurava entre as roupas que comprou
Um motivo e não achou, pra se esquecer
Todos fora e a cidade sem ninguém
Gritou mas não tinha quem pudesse ouvir

A dor de um tédio sem remédio
E um sábado sem solução

Sua casa o olhava sem parar
E a vontade de quebrar tudo cresceu
Madrugada, já cansado se rendeu
Conformado como eu, gritou também

A dor de um tédio sem remédio
E um sábado sem solução
A dor de um tédio sem remédio
E um sábado cantado em vão

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir