Foto do artista Cria da Quebra

Lágrimas (part. Smith)

Cria da Quebra


Lágrimas
As lágrima vem pra testar nossa fé, tá ligado mano?
Pra ver quanto você aguenta mesmo , pá!
Se você é forte, ou quanto se diz ser
Todo mundo chora um dia mano

Cê pode ser branco, preto, rico
Pobre, independente
Tem doença que só as lágrima cura
Tem batalha que só as lágrima vence

Quantas vez mano, eu, o choro meu solitário
Não lavou minha alma, quantas vezes a
Saudade não virou gota nos meus olhos
Mas elas são medalhas, tem que derramar
Só para quem realmente merece
Cria da quebra 2014 lágrimas

O sonho vem e ilude, a realidade ofusca
De quem sonha em ter Ferrari
E morre sem ter nem um Fusca
Ganância fode tudo, ostenta, iludi o homem
O valor ta importando não o sabor do que consome
Demorei mas aprendi que não nasci pra espelho
E os capote deixa marca só os ralado no joelho

E esses mesmo ralado que ganhei jogando bola
Me ensinou mais do que 15 ano dentro da escola
Eu ri pra não chorar, disfarcei expressão com o rosto
Teimosia fez alguém em meio a lixo e esgoto
Chorar pra que se lágrima é água
Cê junta mil litro e no final troca por nada

Suor, define o que nós é muito melhor
Escorreu em cada rosto, de desgosto deu ideia
Jogou você pros lobo, você liderou a alcateia
Experimentou sangue e os bico na platéia
Onde cê luta pra não cair uma lágrima da sua véia
Corre caralho até no fim da maratona

O palhaço do circo saiu pra fora da lona
Sozinho, solitário os veneno ele soma
Acostuma que no escuro até sua sombra te abandona
Ironia da vida quem faz sorrir nunca ri
A maquiagem esconde alguém sofrendo ali
Os pensamento indevido, devendo pra Deus e o mundo

Uma gota de veneno talvez resolvia tudo
Mas não desiste irmão, sai dessa honrado
Um mendigo com roupa, tá no lucro nasceu pelado
Você é livre e a terra gira meu chegado
Então se a terra gira porque você tá parado?
Esperando acontecer, vai esperando pra vê

Eu nunca esperei, eu fui e fiz acontecer
E o tempo me deu isso, junto com as cicatrizes
Prum dia eu contar pro meu filho
Minhas histórias mais felizes
Problema não é chorar, chorar nunca foi o problema
Problema é que se tu chorar tem que valer a pena

Não chorei nas piores, já passei mil treta
Passei longe da faculdade comparado com a escopeta
E a vida foi me ensinando junto com o tempo
Que o vento frio carrega choro, nunca é só vento
Que vai bater de frente pra vê até onde eu aguento
Não importa pode pá, não vou usar de argumento

Ela pingou no chão como uma gota de chuva
Garoa fria
Respingou na minha alma fazendo
A noite virar dia

Enxugue as lágrimas e honre sua véia
Meu mano na moral
Eu enxuguei a minha com um papel onde
Havia escrito Rap Nacional

Cena repete mais do que no meu celular Rap
Em meio azulejo quebrado, descalço tem um moleque
Que o choro do rosto mistura com catarro
Roupa velha rasgada, respingada de barro

Conhecimento de causa, sei quanto ele sofreu
Cada pedrada, cada não, esse moleque sou eu
Cada riso, cada prova...por não ter grana
Pra comprar a porra de uma roupa nova

E eu pivete acreditando em Hollywood, Stallone
Van Dame e Chuck Norris mas sempre quis ser Al Capone
Não pela máfia irmão, de onde eu venho tem uma par
O respeito eu também queria conquistar

Erga a cabeça irmão de Havaiana ou Adidas
Catava latinha na rua, hoje em dia eu cato vidas
Fazendo por amor, que se foda quem acredita
Eu canto Rap moleque

Porque a porra desse Rap me fez viver
E hoje em dia essa porra é minha vida
Não é com teco de pão igual Maria e João
Nosso caminho foi trilhado diferente irmão

Deixamos nessa estrada dor e sofrimento
Pra que se um dia eu tiver que voltar eu sinta pelo vento
A brisa que espalha, a lágrima na face
Quem nasce gueto morre gueto, independente à classe

Confia em Deus, ore, confia em si, chore
Mas faz sozinho no seu quarto sem ganhar ibope
Jardim de corpos orvalhado pelos pais
Chora filho em saudade de quem não volta mais

Só as lembranças que trazem os mortos
Com as gota da lágrima pingada na sua foto
A vida é foda e muitos foram mesmo com medo
Por que moto do ano fascina mais que acordar cedo
Eu me privei, água pra quê champanhe?
Essa lágrima pode pá que você não vai chorar...mãe!

Ela pingou no chão como uma gota de chuva
Garoa fria
Respingou na minha alma fazendo
A noite virar dia

Enxugue as lágrimas e honre sua véia
Meu mano na moral
Eu enxuguei a minha com um papel onde
Havia escrito Rap Nacional

Não desisti vê meus amigos indo embora
Olhava pra minha vida perguntava, e agora?
Com vocês era foda aguentar zé povinho
Agora vocês morreram imagina sozinho

Parei pra pensar na vida na guia suja
E percebi que passa ano, década e nada muda
Almoçando salgado de $50 centavo
Sozinho
Em meio à multidão me encontrei mó solitário

Não dá valor pro seu almoço né parceiro?
Sua mãe morre, você em choque, em desespero
Não dá tempo, não volta é guerra guerreiro
Uma lágrima em luto, contamina o mar inteiro

Não mistura irmão, só você é refém
Ela é egoísta não compartilhe ela com ninguém
Não usa de desculpa pelo sofrimento
Lágrima é pra chorar, não usar de argumento

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir