Eu piso nesse chão
Com pé descalço e vou me desnudando em paixão
Você não pode dizer o que sou
O que fazer, aonde vou
Sou dona de mim mesma
Usei seu ódio para fazer essa canção

Eu sou raiz. Renasço dessa terra
E o tambor me diz que minha cor é bela
Sou preta! Sou cabloca!
E não é você que vai me dizer
Pedi licença pra chegar até aqui
Nesse caminho Oyá cuidou de mim
Dos meus ancestrais nunca esqueci
E dos meus lábios você sempre irá ouvir

Que eu sou guerreira!
Filha do Trovão!
Minha força vem da terra não fale meu nome em vão
Eu sou faceira
E se você não sabe o que é
Respeita minha historia
Eu sou matriz! Eu sou mulher!

Eu sou raiz. Eu piso nesse chão
Com pé descalço e vou me desnudando em paixão
Você não pode dizer o que sou
O que fazer, aonde vou
Sou dona de mim mesma
Usei seu ódio para fazer essa canção

Eu sou raiz. É! Sou dessa terra
E o tambor me diz que minha cor é bela
Sou preta! Sou cabloca!
E não é você que vai me dizer
Pedi licença pra chegar até aqui
Nesse caminho Oyá cuidou de mim
Dos meus ancestrais nunca esqueci
E dos meus lábios você sempre irá ouvir

Que eu sou guerreira!
Filha do Trovão!
Minha força vem da terra não fale meu nome em vão
Eu sou faceira
E se não sabe o que é
Respeita minha historia
Eu sou matriz! Eu sou mulher!

Eu sou raiz. Renasço dessa terra
E o tambor me diz que minha cor é bela
Sou preta! Sou cabloca!
E não é você que vai me dizer
Pedi licença pra chegar até aqui
Nesse caminho Oyá cuidou de mim
Dos meus ancestrais nunca esqueci
E dos meus lábios você sempre irá ouvir

Que eu sou guerreira!
Filha do Trovão!
Minha força vem da terra não fale meu nome em vão
Eu sou faceira
E se não sabe o que é
Respeita minha historia
Eu sou matriz! Eu sou mulher! (x2)

NEGRA

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais no Blog