Foto do artista Madrilenus

Das cinzas à Paixão / Mestre Orfila / Bandeira do Quinto / Tabaco (Pot-Pourri)

Madrilenus


Não, não é proibido, um peito ferido cantar sua dor
Sei que o teu carinho é um espinho e machucou
Só fez derramar no chão esse copo de ilusão em que eu me embriaguei
Riscou meu vinil, meu peito se abrilnão sei o quanto que chorei

Nunca mais o meu fracasso
Será seu elevador
Não quero ser o palhaço
De um circo que incendiou

Meu pranto apagou
A chama sem querer
Das cinzas espero uma nova paixão renascer

Maria engoma minha fantasia
Que esse ano a escola tem que vencer
Já tenho até um samba preparado, pra ser cantado
Na hora que a escola descer
Já falei com lino mota, o chefe da marcação
Já falei com o vavá e também com zé leão
Vou conversar com roseno e também com mestre orfila
Porque a escola este ano forma na primeira fila
Pois é, pois é, pois é
A ginga se faz no corpo e o compasso é no pé

Se eu morrer amanhã
Quero que cubram meu caixão
Com a bandeira da escola da turma do quinto
Que pra mim será satisfação
Quando eu chegar nas bandas de lá
Eu tenho muita coisa pra contar
Tenho que dizer que fui compositor
Tenho que dizer que cantei samba meu senhor
Tenho que dizer que amei e fui amado
Desprezei também fui desprezado(bis)

Ê tabaco, tenha dó
Tire o palitó, tire o palitó
Jogue a flor pela janela, tire da lapela, tire da lapela

Lembre das vitórias, que o quinto te deu
Luiz de frança, continua na história
E patativa não morreu (graças a Deus)
A gente precisa é lutar pela camisa da madre Deus

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: César Teixeira / Cristóvão Alô Brasil. Essa informação está errada? Nos avise.