Cédulas e Sangue

Novo Cenario

exibições 1.868

Sangue tido como um transporte de oxigênio no corpo,
Mas quando perfurado escorre e o deixa morto bang-bang,
Sufoco exposto, pra quase todos desgosto,
Pra outros melhor forma de obter dinheiro no bolso,
Cédulas vivas em troca de gente morta,
Sangue desvalorizado pelo real e o dólar,
Guerra que não se finda, mundo que se complica,
Vida que é extinta por 25 ou 30 contos no bolso,
Quem mata é capaz de fazer chacina, pistola automática perfura vários na quina.
Nesse mundão tem dois lados: quem não tá pelo certo tá pelo errado,
Quem faz a justiça através do braço por Deus é reprovado e pela lei condenado.
Dai a Deus o que é de Deus e a César o que é de César
Jesus pagou com sangue, judas trocou por moedas

Suicida pôs a pedra e projetou a queda, de lá pra cá moedas viraram malotes,
De Jerusalém a planaltina a semelhança é forte
Tanto lá como aqui, uma pá de iscariotes.
Mil grau, mil fitas, cabeça gira e o homicida quer por fim na própria vida.
Remorso ou arrependimento, isso só Deus testifica, sonda o mais profundo ser
E te auto avalia, duvidas e questionamentos, atitudes não pensadas
Gera aprisionamento, algemas apertadas.
Todos se autodestroem, ódio, ganância e saber, sete pecados capitais.
O mundo e seus por quês:
Por que de tanta violência? por que de tanta morte?
Por que milionário morre sem antes de limpar o cofre?
Por que?
Perguntas que nunca vão se calar,
Pois onde está o teu coração, ali estará o seu coração.
Com o quê você vai gastar?
Dinheiro compra cama, mas não compra o descanso.
Dinheiro compra quarto, mas não compra intimidade.
Dinheiro compra sexo, mas não compra o amor.
Dinheiro compra igreja, mas não compra a santidade,
Já o sangue que escorreu na cruz do calvário, purificou os pecados,
Valor de um preço impagável.
Pra quitar essa divida nem toda grana do mundo,
Só basta aceitar Jesus, o sangue dele limpa tudo

Valores tão pobres crescentes.
Por eles o mundo se vende
Cédulas e sangue, cédulas e sangue, cédulas e sangue. (2x)

(dinheiro) vários que sonham com ele, que correm por ele,
Que matam ou morrem sempre atrás de (prazeres),
Falsos sentimentos, fracos relacionamentos,
Comprados e ofuscados com o tempo.
(poderes) destinados aos que se destacam,
(por seres) que absolvem a minoria fraca
(daqueles) que coagidos na cena se tornam coadjuvantes,
Num ponto culminante o dedo coça e gera
(sangue), que escorre nas ruas, escorre nas calçadas,
Nego que morre sem dever nada.
(sangue) que abala famílias, desestrutura vidas,
Abre feridas que o tempo não cicatriza,
Eu já pensei em sair dessa vida, só que aí, não vejo outra saída!
Não queria ver minha mãe chorar,
Todo segundo de novembro com flores a me entregar.
Penso em regeneração muitos diz que não. Sem solução!
Seu destino é ser ladrão, jão.
Mas alguém morreu por mim é fato não é boato,
Quantas vezes escapei da morte e senti seus braços
Me acolhendo e dizendo:
Filho eu tenho um plano em sua vida, paguei com preço de sangue
O débito que você tinha.
Então, entendi o que tens pra mim: dinheiro é sempre bom?
Sim, mas não te faz feliz!
Cédulas e sangue, pistola e gangs, malotes e coldres,
Balas nos tambores, de que adianta, viver só por viver
E matar só por prazer? algumas cédulas no bolso não vão salvar você.
E te digo, portanto, se esse é o seu objetivo,
Coletivo de maloca é cemitério sortido.
Cédulas e sangue.. plantou ódio, colheu em dobro (efeito bumerangue).

Valores tão pobres crescentes.
Por eles o mundo se vende
Cédulas e sangue, cédulas e sangue, cédulas e sangue. (2x)

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir