Louco, você lembra aquele trampo
Que eu usava pendurado no pescoço
Dizendo que era um símbolo da paz
Você sabe quem me deu, foi um hippie que morreu

Hippie, diga onde está o beatnik e um dos punks e skinheads
Heavy metal, heavy darks, moicanos, bichos grilos
Gangues de pichadores apareceram
Se na vida tanta ideia e seitas, crenças, gangues
Filosofias, religiões de povo doido e oposições anarquistas
Loucos sábios, débios e sonhadores

Vou pegar os meus trampinhos
Sabe, sou maluco de estrada
Não tenho a ver com nada, vou dar uma caminhada
Meu chinelo é de pneu

Estou aqui sentado na beira da estrada
Fazendo uma fogueirinha
Enrolando uma palhinha
Escrevendo essas linhas
Vendo o caminhão passar

Estou aqui sentado na beira da estrada
Fazendo uma fogueirinha
Enrolando uma palhinha
Escrevendo essas linhas
Vendo o caminhão passar

Louco, você lembra aquele trampo que eu usava pendurado no pescoço
Dizendo que era um símbolo da paz
Você sabe quem me deu, foi um hippie que morreu

Freud explique meu momento alucinante
Os caminhos são bastante pra essa tal felicidade
De mistérios e vaidades que se veste a ilusão

Mas hippie, diga onde está o beatnik e um dos punks e skinheads
Heavy metal, heavy darks, moicanos, bichos grilos
Gangues de pichadores apareceram
Se na vida tanta ideia e seitas, crenças, gangues e filosofias
Religiões de povo doido e oposições anarquistas, loucos sábios
Débios e sonhadores

Estou aqui sentado na beira da estrada
Fazendo uma fogueirinha
Enrolando uma palhinha
Escrevendo essas linhas
Vendo o caminhão passar

Estou aqui sentado na beira da estrada
Fazendo uma fogueirinha
Enrolando uma palhinha
Escrevendo essas linhas
Vendo o caminhão passar

Louco, você lembra aquele trampo
Que eu usava pendurado no pescoço
Dizendo que era um símbolo da paz
Você sabe quem me deu, foi um hippie que morreu

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir