Foto do artista Vespas Mandarinas

Amor Em Tempos de Cólera

Vespas Mandarinas


Quem me vê assim tranquilo
Quem me vê assim sereno
Não sabe que todo dia eu me afogo em meu próprio veneno
Quem me vê assim cantando
Quem me vê assim poeta
Não sabe que todo dia minha alma fica deserta
Quem me vê assim, orgulho
Quem me vê assim, razão
Não sabe que as certezas, são só uma ilusão
Me diga então

Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, agora?
Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, nesses tempos de cólera?

Quem me vê assim atento
Quem me vê assim gentil
Não sabe da escuridão que o meu coração encobriu
Mas eu sei, estar desperto é o que basta para estar vivo
Um amor que chega como um alarde amanhã se despede furtivo
Então me diga

Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, agora?
Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, nesses tempos de cólera?

Pela paz (pela paz)
Pela paz (pela paz)

Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, agora?
Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, nesses tempos de cólera?

Pra que serve o amor?

Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, agora?
Pra que serve o amor?
Pra que serve o amor, nesses tempos de cólera?

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Adalberto Rabelo Filho / Thadeu Meneguini. Essa informação está errada? Nos avise.
Enviada por Ronaldo. Legendado por Murilo . Revisão por Lucas. Viu algum erro? Envie uma revisão.