O samba nasceu numa ilha,
Cresceu na família,
Sofreu no escuro daqueles porões.
Desceu numa lágrima negra,
Espalhou nos quilombos
Aquela alegria que brota em grotões.

Samba tem,
Crioulo da baixada, tem
O coco de embolada, tem
Loirinha bronzeada, tem
Marginal, daqueles do planalto central
Daqueles trombadinhas, tem
Que pulam em seu quintal.

O samba de bamba poesia,
Irmão da boemia,
Alimenta e sacia a nobres e plebeus.
Cantou das janelas da vida,
A simplicidade e a felicidade
Desses filhos teus.

Samba traz,
O povo pra avenida, vem
E deixa que teu corpo vai,
Num gostoso cai, não cai.
Escultural, como beleza sensual,
Faz de conta que se foi e vem,
Num amor de carnaval.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Guilliard Pereira / Ze Manoel. Essa informação está errada? Nos avise.

Posts relacionados

Ver mais posts