História do sertanejo: conheça as origens do estilo

História da música · Por Rafaela Damasceno

30 de Setembro de 2020, às 12:00

Com mais de um século de existência, o sertanejo é um dos estilos musicais brasileiros mais amados. Independente da sua idade ou classe social, com certeza pelo menos uma música sertaneja já marcou algum momento da sua vida.

Mas, ao longo de tantos anos de estrada, muita coisa mudou. Do relato da vida bucólica no campo a tramas de traição e intrigas nas cidades grandes, as letras e o ritmo foram variando de acordo com o gosto do povo, com a diversidade de cantores e com a modernização dos instrumentos.

Com tanta mudança ao longo desses anos, que tal conhecer agora, em detalhes, a história do sertanejo e quais foram os artistas que marcaram a sua evolução? Vem com a gente!

Como o sertanejo começou?

Durante a colonização brasileira, as modas de viola eram muito comuns entre os portugueses. Em uma roda, as pessoas se reuniam para comer, beber e contar histórias. 

Foram os europeus que trouxeram esse instrumento e esse costume para as nossas terras. Além disso, os jesuítas também já usavam a viola para cantar canções católicas para os índios e para promover festas religiosas. 

No entanto, de acordo com os estudiosos e historiadores, as primeiras composições de fato classificadas como sertanejo só apareceram no Brasil em 1929, com o pesquisador, escritor, compositor e humorista Cornélio Pires.

Cornélio Pires
Cornélio Pires / Créditos: Divulgação

Ele queria divulgar o modo de vida do caipira para o restante do país através de músicas e peças teatrais.

Por isso, o início desse estilo foi representado por canções sobre a vida no campo e os costumes do interior. Só um tempo depois é que o homem da cidade começou a aparecer nas letras. 

Como um estilo musical que retrata muito bem a sociedade brasileira até hoje, a música sertaneja foi logo tratando de temas importantes na história do nosso país. Algumas produções daquela época, por exemplo, eram sobre acontecimentos marcantes, como é o caso de A Revolução de Getúlio Vargas e A Morte de João Pessoa, de Zico Dias & Ferrinho.   

Os primeiros grandes sucessos do sertanejo

Foi também na década de 1920 que figuras emblemáticas do sertanejo começaram a surgir. São aquelas composições que hoje nós chamamos de sertanejo raiz ou música caipira.

A dupla Tonico e Tinoco, por exemplo, foi formada naquela época e ainda é muito lembrada atualmente, desde os fãs mais antigos até as novas gerações. Podemos citar outras muito famosas também, como Raul Torres e Florêncio e Vieira e Vieirinha.

Sem falar nas canções que foram lançadas naquela época e são consideradas os primeiros grandes sucessos desse estilo, como O Menino da Porteira, que tem uma história super interessante. Outro clássico muito ouvido é Pinga Ni Mim, em que o dialeto do caipira é muito bem retratado.

A evolução instrumental do sertanejo

No início, os músicos que tocavam e cantavam sertanejo utilizavam, basicamente, a viola caipira, a gaita e outros instrumentos regionais. Com o passar dos anos, esse formato evoluiu e outros foram incluídos, como a harpa e o acordeão. 

Essa mudança também foi motivada pelo final da 2ª Guerra Mundial, em que ritmos europeus, como a polca, foram incorporados às composições nacionais. Inspirados pelos artistas internacionais, Milionário e José Rico, por exemplo, passaram a usar o violino e o trompete em suas canções. 

Além disso, o formato tradicional da dupla formada apenas por homens foi ficando para trás. Em 1945, os primeiros nomes femininos do sertanejo surgiram, com destaque para Cascatinha e Inhana e as Irmãs Galvão. Elas foram as precursoras do feminejo que conhecemos hoje! 

Apesar de ter grandes representantes, o sertanejo ainda era visto de forma pejorativa por muitos brasileiros. Principalmente nos grandes centros urbanos, a música de raiz era considerada algo ultrapassado, que a industrialização já havia superado. 

Como o sertanejo se modernizou então? 

Ele ultrapassou os obstáculos e conseguiu a tão sonhada modernização. Mas isso só aconteceu entre as décadas de 1960 e 1970, quando o country americano dominou as rádios do Brasil.

Essa influência proporcionou aos músicos brasileiros contato com uma nova forma de compor. 

Com a chegada da guitarra elétrica, o estilo foi evoluindo cada vez mais e o instrumento fez com que as canções ficassem mais modernas e aprimoradas. Sérgio Reis, que já era muito conhecido pelos fãs da Jovem Guarda, é um dos nomes que contribuíram para essa mudança. 

Foi então que as canções mais tradicionais, que retratavam a vida simples no interior, começaram a se tornar mais parecidas com as que conhecemos hoje. E o público respondeu de forma muito positiva! 

E o romantismo, quando apareceu? 

Em 1980, o sertanejo alcançou novos patamares entre os estilos musicais brasileiros. Ele começou a ser tocado nas rádios, em todos os horários, desde os programas matutinos até os noturnos. 

Foi nessa época também que as duplas começaram a incluir elementos românticos em suas letras. Trechos sobre a solidão, o abandono e a tristeza de perder um grande amor foram aparecendo e conquistaram o público na hora!

E a gente nem precisa citar as duplas que souberam (e ainda sabem) fazer isso muito bem, não é mesmo? 🤔 Chitãozinho e Xororó, Zezé Di Camargo e Luciano, Rionegro e Solimões… Sem falar dos inesquecíveis Leandro & Leonardo, com sucessos que até hoje emocionam os fãs. 

Como surgiu o sertanejo universitário?

Lembra que, bem no início, as músicas sertanejas eram voltadas para o homem do campo e a vida bucólica no interior? Pois é, essa realidade mudou e o estilo acabou dominando as grandes cidades, as festas e os jovens.

Com isso, o ritmo ficou mais moderno e as letras também. O clima de balada e de curtição deu origem a uma nova vertente do sertanejo, o universitário. Novos nomes também começaram a aparecer, como Gusttavo Lima, Jorge & Mateus, Cristiano Araújo e Luan Santana

A partir daí, outras adaptações do estilo original foram criadas, como o pagonejo, o funknejo, o eletronejo, o popnejo e muitos outros. Sempre mesclando os estilos mais ouvidos pelo público. 

E a música sertaneja, mais uma vez, segue assumindo o seu principal objetivo, desde as suas raízes: expressar em canções a vida do brasileiro, no campo ou na cidade. 

Mais sobre o sertanejo antigo

Você acabou de saber quais são os pontos mais marcantes sobre a história do sertanejo e percebeu o quanto esse ritmo é importante na vida dos brasileiros.

Agora, que tal conhecer as principais duplas sertanejas antigas que marcaram gerações? 

duplas sertanejas antigas

Receba os melhores posts do blog em seu e-mail

Assine a newsletter gratuitamente e descubra mais sobre o mundo da música


Por favor, insira um e-mail válido.

Obrigado por assinar a nossa newsletter! 😊

Ops, rolou um erro na inscrição. Tente novamente mais tarde.