Sertanejo Antigo: 7 músicas para você curtir

Sertanejo · Por Nathalia Terayama

16 de Abril de 2019, às 14:24

Que a música sertaneja é uma excelente representante da cultura popular brasileira nós já sabemos. Mas você já se perguntou porque a gente gosta tanto de ouvir um modão doído? Os motivos podem ser vários: seja para lembrar de um amor não correspondido, seja para matar as saudades da terra natal ou apenas para curtir uma cachaça boa. O fato é que o sertanejo chegou na década de 1910 no Brasil e veio para ficar!

Na trajetória do sertanejo há a história da modernização e do surgimento das grandes cidades brasileiras. Por isso, em algumas letras mais antigas, a narrativa produzida é a do homem do campo que vai para cidade e sente saudades do interior.

No final da década de 1980 e início da década de 1990, houve uma mudança temática: o auge das duplas sertanejas. Os temas eram mais voltados para as desilusões amorosas, tendência que perdura até as músicas mais atuais. Houve a ascensão de duplas consagradas até hoje, como Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, entre outras.

Dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó.
Chitãozinho e Xororó / Créditos: Divulgação

O mercado ainda era muito restrito e existiam poucas duplas sertanejas compostas unicamente por mulheres. Portanto, é importante conhecer a história do sertanejo feito por mulheres, o feminejo.

Atualmente, a sofrência tomou conta das letras! Mas, independentemente da temática atual, é sempre bom ouvir um sertanejo antigo, não é mesmo? Por isso, confira um pouco mais da história e descubra algumas curiosidades sobre essas músicas tão marcantes na vida do brasileiro!

As 7 músicas de Sertanejo Antigo que não podem faltar na sua playlist

Para matar a saudade, escolhemos as melhores músicas que te farão lembrar do começo do sertanejo.

1. Evidências

Seja em um barzinho, no carro ou na festa de família, quando toca Evidências é impossível ficar indiferente. É a música que une todos os gostos em um só momento. E pensar que antes de ter sido gravada pela dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó, a música foi gravada por Leonardo Sullivan e não teve tanto sucesso quanto a versão sertaneja.

No entanto, até hoje, é só começar a introdução “Quando digo que deixei de te amar…” e todos imediatamente já estão cantando juntos. Essa informação é tão verdadeira que as pessoas costumam fazer flash mobs pelas ruas do país cantando Evidências.

E é por isso que não pode faltar Evidências na sua playlist.

2. Boate Azul

Seguindo a linha de músicas que unem as pessoas, Boate Azul também é uma delas. Já foi regravada muitíssimas vezes por vários cantores e duplas sertanejas, mas foi composta por Benedito Seviero e interpretada originalmente por Joaquim e Manuel. É importante dizer que a música é tão consagrada, que é possível gostar de várias versões sem que uma tire o protagonismo da outra.

A pessoa pode até não saber cantar a música toda, mas o refrão é praticamente domínio público: Sair de que jeito, se nem sei o rumo para onde vou/ Muito vagamente me lembro que estou/ Em uma boate aqui na zona sul. Pela inegável importância no sertanejo, Boate Azul tem que estar na sua playlist.

3. Tristeza do Jeca

Um exemplo de música que fala sobre a saudade da terra natal, algo que não pode faltar em uma playlist de sertanejo antigo, é Tristeza do Jeca. da dupla Tonico e Tinoco. A narrativa da música representa o diálogo do homem que saiu do interior com sua amada: Nestes verso tão singelo/ Minha bela, meu amor/ Pra você quero contar/ O meu sofrer e a minha dor.” É uma música importante que foi lançada em 1918 somente com o instrumental e gravada pela Orquestra Brasil-América em 1924. Foi gravada com letra, em 1926, por Patrício Teixeira. Em 1961 foi trilha sonora do filme Tristeza do Jeca e seguiu fazendo sucesso na voz de Mazzaropi.

A música é um clássico do sertanejo antigo e por isso merece estar na playlist de modão!

4. Pense Em Mim

Mais uma representante do sertanejo de duplas masculinas é a música Pense Em Mim. Esse sucesso de Douglas Maio, José Ribeiro e Mário Soares, interpretado por Leandro e Leonardo na década de 1990, se destaca por ter a intencionalidade de afastar a música sertaneja do contexto rural/interiorano para algo mais abrangente: a desilusão amorosa.

É uma música com um instrumental composto por metais com letra de memorização simples e assertiva. Por esses e outros motivos, continua arrastando milhares de admiradores.

Por isso, não deve faltar na sua playlist.

5. Nuvem de Lágrimas

A música, gravada por Fafá de Belém com participação de Chitãozinho e Xororó em 1989, segue plena e imbatível nas playlists de sertanejo antigo nas festinhas. Seguindo a linha da sofrência – antes do termo existir – tem um refrão que tem jeito de hino: Ah! Jeito triste de ter você/ longe dos olhos e dentro do meu coração.

A música foi regravada em 1990 no disco Cowboys do Asfalto de Chitãozinho e Xororó e segue fazendo sucesso até hoje em diversas versões.

6. Estrada da Vida

Nesta longa estrada da vida/ Vou correndo e não posso parar/ Na esperança de ser campeão/ Alcançando o primeiro lugar. Essa é uma daquelas letras que começam com o desejo de todo ser humano de vencer na vida e ser uma pessoa de sucesso, e continua com uma lição para o ouvinte: Este é o exemplo da vida/ Para quem não quer compreender/ Nós devemos ser o que somos/ Ter aquilo que bem merecer.

Por essa reflexão sobre a vida, merece estar na sua trilha sonora.

7. A Majestade o Sabiá

Encerrando com chave de ouro esta lista de músicas que não podem faltar na sua playlist de músicas de sertanejo antigo, a Rainha do Sertanejo: Roberta Miranda. A cantora e compositora da música A Majestade, o Sabiá é um exemplo das mulheres no sertanejo na época em que o mercado era dominado por homens. Essa representatividade feminina foi muito importante para a participação das mulheres no sertanejo atual.

A canção foi regravada recentemente no novo DVD da carreira de Roberta Miranda com a participação das principais representantes do feminejo atual.

Por essa representatividade, também, essa música não pode faltar em uma playlist de modão.

Por fim…

Ainda que a sua vibe seja “eu não gosto de sertanejo porque é só música de sofrimento”, pense que o sertanejo, sobretudo o antigo, é também um registro histórico da modernização do nosso país e da saída das pessoas do interior, mas que carregam suas raízes consigo.

Não há como negar que o sertanejo é muito mais que “música de corno” e muito mais que sofrimento e desilusão. É o canto de um povo que abriu mão do conforto da terra natal para tentar uma vida melhor nas cidades.

E aí? Ficou com vontade de escutar mais músicas do sertanejo raíz? Aquele modão maravilhoso? Escute uma playlist somente sertanejo antigo/ raíz, essas maravilhas da nossa cultura.

Playlist sertanejo raiz.