Caetano Veloso: as 5 melhores músicas de um dos ídolos da MPB

MPB · Por Dora Guerra

24 de Maio de 2019, às 07:00

Como falar de música brasileira sem falar das músicas de Caetano Veloso?

Um dos maiores nomes das últimas décadas, o artista tem 30 álbuns de estúdio lançados e um legado incontestável. E não parou no tempo: com 76 anos, Caetano continua em plena atividade, apoiando gêneros como o funk e lançando música até com a Anitta.

Caetano Veloso músicas
Créditos: Divulgação

Apesar de ter muita história pra contar, vamos tentar falar um pouco sobre a trajetória do artista e sobre algumas de suas canções mais icônicas. Vamos lá?

A vida de Caetano

Nascido em 7 de agosto de 1942, Caetano Emanuel Viana Teles Veloso é natural de Santo Amaro, na Bahia. Desde pequeno se interessava por arte, pintura, música e cinema; curiosamente, chegou a iniciar o curso de Filosofia na UFBA em sua juventude, enquanto se aproximava do teatro fazendo espetáculos semi-amadores com Tom Zé, Gilberto Gil e sua irmã, Maria Bethânia.

Com grande admiração pela bossa, foi nesse gênero que Caetano começou a dar seus primeiros passos na música. Porém, aos poucos, ele foi se distanciando desse movimento, que deu lugar a uma segunda fase da MPB. Nascida em meados do ano de 1965, agora não mais como um gênero musical, mas como um estilo próprio que trazia muito da personalidade de Caetano e dos outros cantores que integravam esse grupo, a MPB herdou da Bossa Nova a crítica velada à injustiça social e à repressão política, infelizmente muito presentes durante a Ditadura Militar.

Caetano Veloso nos anos 70
Caetano Veloso nos anos 70 / Créditos: Divulgação

Obs: Se você é fãzoca de MPB ou tá começando a curtir o gênero, aproveita para ouvir nossa playlist Seleção MPB!

Não dá pra falar de Caetano sem falar de um dos seus maiores legados: o movimento Tropicália, com Gil, Os Mutantes, Gal Costa, Tom Zé e outros grandes nomes. O tropicalismo foi um movimento que redesenhou a música brasileira de uma forma colorida e ainda assim poética, influenciada pelo concretismo, pela pop art e pelo Manifesto Antropofágico.

Vale ouvir o álbum Tropicália, de 1968, pra ter uma ideia do que foi! 😉

Sem lenço, sem documento

Um aspecto também muito presente na carreira de Caetano Veloso é a política. Assim como alguns de seus contemporâneos, como o próprio Chico Buarque, a ditadura era um tema bastante retratado em suas letras. Além disso, os artistas sofriam forte censura, muitas vezes tendo que alterar grande parte de suas composições.

Caetano Veloso e Gilberto Gil exilados na Europa
Caetano Veloso e Gilberto Gil exilados na Europa / Créditos: Divulgação

Em 1968, Caetano e Gil foram presos, acusados de desrespeitar o Hino Nacional e a bandeira. Foram soltos quase dois meses depois e, temendo a repressão, se exilaram na Inglaterra durante os anos seguintes. Não deixaram de compor e de lançar músicas – nem no exílio, nem quando retornaram ao Brasil na década de 70.

Caetano, Tom, Zeca e Moreno

Com mais de 50 anos de carreira, aclamado aqui e no exterior, Caetano não parou! No ano passado, lançou com seus filhos – Tom, Zeca e Moreno Veloso – o álbum Ofertório. Ainda acompanhado da família, fez turnês pelo país com shows intimistas em um tributo à própria carreira e aos filhos.

Caetano Veloso e filhos em turnê do álbum Ofertório
Caetano Veloso e filhos em turnê do álbum Ofertório / Créditos: Divulgação

As melhores músicas de sua carreira

Agora vem a tarefa difícil: se tratando de um artista com uma carreira tão cheia de história e tão influente na música brasileira, como escolher as melhores?

Para não sermos injustos, tentamos selecionar aquelas que vêm direto à cabeça quando pensamos no Caetano. Ainda assim, foi complicado, viu? Então se você achar que faltou algum clássico dele, conta pra gente!

Segue o nosso top 5:

5. Oração Ao Tempo

O tempo sempre foi intrigante para filósofos, cientistas e artistas. Se o Tempo fosse um senhor e você pudesse orar a ele, o que diria? É sobre isso que fala a canção Oração Ao Tempo, repleta de delicadeza:

És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo, tempo, tempo, tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo, tempo, tempo, tempo
Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo, tempo, tempo, tempo
Entro num acordo contigo
Tempo, tempo, tempo, tempo

Como muitas canções dele, esta também tem várias versões: uma bastante famosa é a regravação de Maria Gadú, usada como abertura para a novela A Vida da Gente. Já essa aqui é a cantada por Caetano acompanhado de seus filhos, no álbum Ofertório:

4. Reconvexo

Irmão de Maria Bethânia, Caetano há algum tempo queria compor uma música para a voz da cantora. Dessa vontade nasceu Reconvexo, uma carta de amor ao Recôncavo Baiano (de onde vem o nome, um neologismo que brinca com os conceitos de côncavo e convexo) e ao Brasil. Além disso, o cantor afirmou ter se cansado das críticas que o jornalista Paulo Francis, na época escrevendo de Nova York, fazia ao Brasil e à sociedade brasileira.

Por isso, a canção conta com diversas homenagens à cultura nacional, desde o Olodum, Dona Canô (sua mãe) até Henri Salvador (um dos precursores da bossa nova). O artista faz um verdadeiro tributo às suas origens – sem deixar de questionar os “caretas” que não sabem apreciá-las: quem não é recôncavo, nem pode ser reconvexo. Vem conferir a letra com todas suas sutilezas aqui!

E é claro que o resultado, na voz da querida Bethânia, ficou lindo:

3. Alegria, Alegria

Lançada em 1967, Alegria, Alegria foi o primeiro grande sucesso de Caetano. Além de ser considerado um marco inicial para o tropicalismo, o single foi uma tentativa do artista de compor uma marcha similar à canção A Banda, do Chico Buarque.

Sem lenço, sem documento
Nada no bolso ou nas mãos
Eu quero seguir vivendo, amor
Eu vou
Por que não? Por que não?
Por que não? Por que não?

O arranjo foi influenciado pelos Beatles e isso é notável na música, fazendo com que os “tradicionalistas” na época detestassem a canção: existia um forte movimento contra os estilos gringos e a simples presença de guitarras era considerada alienação cultural. Loucura pensar nisso hoje em dia, né? Independentemente disso, a música alcançou o quarto lugar no Festival da Record, que era uma grande ocasião naqueles tempos.

Vem ouvir esse clássico, citado pela Rolling Stone como uma das 100 melhores músicas brasileiras de todos os tempos:

2. Você É Linda

Luz das acácias
Você é mãe do Sol
A sua coisa é toda tão certa
Beleza esperta
Você me deixa a rua deserta
Quando atravessa
E não olha pra trás

Quer música romântica? Temos também! Com toda a delicadeza das palavras de Caetano, Você É Linda foi composta em 1983 e é cheia de sentimentalismo. A letra mescla metáforas bonitas com frases românticas relativamente simples: afinal de contas, às vezes só dizer “você é linda” e “você me faz feliz” já dá uma bela declaração.

Além de tocar essa música linda, mais que demais, Caetano fala um pouco sobre a conotação das suas músicas nesse vídeo:

1. O Leãozinho

Em 1974, Caetano estava no processo de compor as músicas para o disco Bicho, já com alguns tipos de bichos, como Tigresa e A Grande Borboleta. O próprio compositor é leonino e tinha um grande amigo – Dadi Carvalho, dos Novos Baianos – também do signo de Leão, mais novo e por quem tinha muito carinho: surge o leãozinho.

Dadi Carvalho, da banda Novos Baianos
Dadi Carvalho, da banda Novos Baianos / Créditos: Divulgação
Tua pele, tua luz, tua juba!

É legal destacar que composições de homens para homens são raras e por isso tão valiosas: O Leãozinho é uma demonstração de carinho e afeto por um amigo e a música traduz essa pureza. Hoje, é uma das canções mais famosas do querido Caetano, talvez por ser tão positiva e tranquilinha.

Essa versão, cantada com a Maria Gadú, mostra bem o sentimento gostoso que a música traz:

Menção honrosa: Sozinho

Talvez uma das músicas mais conhecidas com a voz de Caetano, só não incluímos Sozinho em nossa lista original porque a composição não é dele! Apesar da versão do nosso tropicalista baiano ser muito famosa, a canção foi composta por Peninha.

Anteriormente regravada por ninguém menos que Tim Maia e também por Sandra de Sá, foi com Caetano que a música foi primeiro lugar nas rádios em 19 estados. Por isso, não dá pra ignorar essa música tão bonita:

Faltou muita música e muita história pra contar, né?

É que falar da carreira do Caetano – que ultrapassa cinco décadas – é uma tarefa e tanto! Por isso, a gente recomenda ouvir as mais acessadas do artista e ler cada letra com atenção, porque, além de tudo, Caetano Veloso é um poeta. Dá pra entender por que é um dos maiores nomes da MPB, certo? ❤