No meu coração brasileiro
Plantei um terreiro, colhi um caminho
Armei arapuca, fui pra tocaia, fui guerrear

Meu coração brasileiro anda de lado
Manca inclinado
De norte a sul a vida é o rumo
Que é mais procurado

Quando é de noite a vida silencia
Abro no peito três olhos pro céu
Nasço da luz de que nasce o dia

Eu sigo manco, meu pé tem gabarro
Minha crista tem gôgo
Fiz minha fé com tijolo de barro

Mas não regulo minha veia com isso
Quando é de noite na vida me esguicho
No vão do espaço de procurar
O coração que for brasileiro
Faço capina, chumbo a cravina
Quero alegria, quero alegrar!

A vida ferve na cuia do tempo
Quem espera a dor não viaja no vento
Ranquei a hora no chão do momento

Nasci de manhã, o sol veio olhar
Brilhou meu setembro, fiquei no lugar
Mais cedo que a vida fui trabalhar.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir