Rabiscaram o céu de uma cor que não é cor
E sumiram na esquina da paisagem
Na passagem pro planeta que boiando no espaço do espaço
Vai beirando a perfeição civilizada
Embriagada de uma luz de tempo
De uma gente diferente
De uma mente tão exata
Tão cansada do cansaço que é o erro

Vão guiando o avanço
Flutuando no cemitério de cabeças
E tornando funcional o mistério das janelas

E a esfera de pedra espera intacta
Uma estátua silenciosa que emudece de espanto
Ao espasmo do espírito da terra.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir