Pague!
Pare!

Do topo da trilha de ferros já vejo a miniatura da velha cidade enferrujada e suas calçadas mortas
Portas cheias de gente amedrontada a fingir que nada lhes abate
Nesse combate vão deixando de existir

Figuras se apagam nas ruas seguras, nos carros blindados, nos prédios fechados vão sumindo
E eu sigo subindo e descendo, nos trilhos de risco é que me faço
No aço alado alucinado vou redescobrindo o grito nato que há em mim

Livre pra voar!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir