Uma andorinha só, não faz verão
Não, mas pode acordar o bando todo (é!)
Assim disse o poema do Binho (salve sarau)
Por isso que eu sei que não tô sozinho

Ontem era 16, hoje são 33
Verões, 33 rotações
Indo e vindo, como um disco
Girando vários risco

Mó responsa, idade de Cristo
Vi vários mano ser preso nesse artigo
Fiz uns pino pra distribuí pus menino
Hoje assino vários tráfico de raciocínio

E cada fio branco é um cagueta
Ninguém vai escapar da ampulheta
Lembrei do meu primeiro emprego, empacotador
Passado embrulha pra viagem, levo onde eu for

Aprender com cada dia que passar
Sem desanimar
Enquanto a música me levar
Eu vou caminhar
Aprender com cada dia que passar
Sem desanimar
O que conquista é escada, num é elevador!

Num juntei nota pra ter uns plaquê, apavorar
Juntei as nota num velho PC e fiz música
Por um futuro menos mão de vaca
Pra faca amolada, qualquer carne é fraca

Aqui até a esperança amarela, que fase
Nossas criança crescendo à capela, sem base
Mas se o azul do céu reflete na cor do mar
Eu torço pr'eles refletir quando escutar

Quanto cabe de tristeza num copo?
Quanto cabe, de saudade numa foto
Quanto cabe de desgosto num voto
E de liberdade no guidão de uma moto?

Sabe aquele desenho da batida do coração?
Aqueles risquinhos, descendo e subindo?
A vida é aquilo, movimento
Uma linha reta por muito tempo
Não é bom sinal

Aprender com cada dia que passar
Sem desanimar
Enquanto a música me levar
Eu vou caminhar
Aprender com cada dia que passar
Sem desanimar
O que conquista é escada, num é elevador

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir