A saudade, meu bem, passeia léguas
Vez em quando ela vem de muito longe
Toma assento, se achega (logo onde?)
Em meu peito; e proseia sem dar trégua

Pra saudade não tem uma só régua
Que lhe meça a tristeza dos seus longes
E a lonjura, lá fora, em que se esconde
Vai coberta com o pó de muitas léguas

De repente ela vem tirar proveito
E nos pega de jeito em hora incerta
Nos deixando com o olhar triste e desfeito

Feito um nó essa saudade mais aperta
O laço que nos une e abraça o peito
Enquanto o amor em nós mais se desperta

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Roger Resende. Essa informação está errada? Nos avise.
Enviada por Kadu. Revisão por Kadu. Viu algum erro? Envie uma revisão.