exibições 2.867
Foto do artista Síntese

Um Passo

Síntese


Na imensidão de cores, dialetos e etnias, a segregação impera... O campo de combate é vasto.
É onde eu vejo os corações e carcaças vazias...Onde o banal impera, a vitória não tem espaço!
É a cidade, onde até o ar de envenena. Onde toda solução sempre gera novos problemas.
Lágrimas regam o piche infértil que nos foi imposto, e a gente assina o contrato pra morte que nos foi proposto.
Pra mim, é um bailado de trapaças, esse jogo. É assim, desde que o homem aprendeu a lidar com o fogo.
Fome e destruição, mas eu faço parte, por aqui a sua vida vale pouco como a arte.
Nós trocamos as verdades por mais que sejam tristonhas, por mentiras maquiadas, ilusórias e risonhas.
A maldade páira sobre o céu durante o dia, e se a noite cair providencie extrema unção à alegria.

Um passo, em falso pro jogo virar.
Um passo, errado pra uma mãe chorar!
Na cidade, esse passo não terá perdão.
Um compasso, pra narrar um passo dado nesse chão. 2x

Em meio a isso, a vida custa cada vez mais caro. A frustração e ganância habitam cada ser vivo.
Atos bondosos se tornam cada vez mais raros...
Entre carros e prédios, a frustração é o incentivo pro fracasso, que faz sua morada nos corações.
Enquanto as situações fabricam bandidos. Parece que a maldade tá vencendo as orações, e o Judas em meio a isso, passa despercebido.
Já que, ninguém mais se preocupa com o futuro. O presente já não existe assim como corações puros.
Moleque sem malícia, poço de honestidade, ouve falar das verdes...o olho exala maldade.
A ganância contaminou, a cidade e seus arredores. O vírus atingiu as entranhas dessa nação.
As esperanças por mudanças e por dias melhores? Perderam lugar, pro asfalto e pra construção!

Um passo, em falso pro jogo virar.
Um passo, errado pra uma mãe chorar.
Na cidade, esse passo não terá perdão.
Um compasso, pra narrar um passo dado nesse chão. 2x

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir